Artes Para Moscas
Isso que é arte hoje e que somos obrigados a engolir. Como artista plástico fico revoltado. A falta de criatividade e a lavagem cerebral de esquerda no intuito de te transformar em algo abaixo de um animal. Leva a esse tipo de exposição como a de um homem completamente nu onde pessoas inclusive criança são convidadas a tocar em um homem com manjuba a mostra. E se você reclama é você o taxista, nazista, racista, etc.
Se você ver um homem enrabando um animal uma cabra, vaca etc numa exposição e você ver zoofilia nisso é você o nazista e todos os istas possíveis e existente.
A sim também como a gozação com crenças religiosa com a crença do nosso povo e se você ver algo de errado é você o homofônico, sambista, taxista, nazista, todos os istas.
O único direito que o cidadão tem nesse país de merda é o de trabalhar feito um jumento durante toda a semana e pagar imposto como um condenado. E não ter cultura de verdade, saúde, educação, segurança. Ser tratado como um bicho em posto de saúde, ter seus bens roubados, levados em um a salto cujo o ladrão tem mais direito que o cidadão.
Você não tem nem o direito de se revoltar com uma exposição cujas crianças brincam com a manjuba de um homem nu. Essa é a cara da nova arte cujo intuito é a mesma lavagem cerebral de esquerda. Te transformar numa besta em algo abaixo de um animal e seu único direito nesse país é o de não ter valor nenhum e trabalha feito um condenado ater a morte.
Tiago Amaral
Além dos Sonhos
Coube aos meus olhos agradecer
ao senhor por tal dama.
A coisa mais divina que ele próprio
criou no momento mais sublime
da sua sabedoria e infinito conhecimento.
Minha amada simplesmente de
forma tão sútil, era a verdadeira
mostra de como Deus, foi tão
milagroso ao criar e mandar
para terra tal alma igualmente divina.
A sim igualmente como teu dorso
e todo o corpo de minha amada a terra.
Tão graciosa e bela que tal coisa
parecia fugir do simples ato de
ser uma simples mulher.
E sim um verdadeiro milagre de forma
doce e magnifica dama.
Uma flor sublime de ilírio cuja que
radiava dourada por tua gloria
e pura beleza, doce e divina.
Me via eu de amar eternamente
tal magnifica dama e alma.
Mas em sonho a admirava eu a minha
musa imortal, sobre minha cama.
E ali me via eu parado com os meus olhos
fitando sobre o corpo dela a sonhar
adormecida.
E admirava eu tal coisa belíssima,
admirava eu, atua suave e doce
respiração, além da tua nobre e magnifica
existência.
Tomaste o meu coração para si,
que a ela passou a pertencer.
A mim fez o meu amor transcender,
para além de mim.
Além da própria existência e da
própria vida, indo além ater mesmo
da própria morte. E se pudesse eu não
acordaria mais desse sonho... Sonharia eu eternamente com minha amada.
Tiago Amaral
Puro Ato de Ama-la
Quanto tempo faz, tempo esse que traz a
saudade na qual você me traz.
Seus olhos lindos, estrelas na qual por de trás
do brilho, vi tua alma que fazia-se tão humilde
quanto divina e sublimemente radiante.
Me encontrava então por paixão, apaixonado.
Te procurando no azul do céu em desenho
em nuvens, onde então podia passar
o tempo a sonhar com tal dama.
A onde então sobre elas eu podia me deitar
ao seu lado em pensamentos.
E a noite entre as estrelas desenhava por desejo
seu rosto em mais pensamentos.
As vezes a noite restava-me ao lado da solidão
encontrar nas estrelas esperança e a
certeza de encontrá-la.
Então com elas eu conversava sobre meu
universo lindo de corpo voluptuoso que em
mim causava uma pura sensação de volúpia
vinda do teu corpo tão doce.
Que de tal cheiro era feito o corpo dela,
cujo o aroma me lembrava a primavera.
Que por natureza de forma tão natural
exalava-se do teu corpo suaves e doces
cheiro de rosas.
Tanto amor eu tenho para com minha amada.
Cuja a beleza e alma de minha flor me fazia
transpirar um puro e singelo amor.
Como por vontade de tamanho sentimento
vindo do coração passando pela alma.
Em assumir em uma única frase: “que eu te amo”
Então falo-te de Carolina, uma morena linda.
Que porventura no puro ato de conhecê-la
preencheu meu coração de amor, através de
seus olhos, cujo quais lembra-se singelas noite
de estrelas sobre o luar.
Tão lindo e profundo são seus olhos, que
Despertava-me um puro anseio e uma
profunda admiração por tua alma pura.
Que do frescor que brotava em teus lábios,
brotava em mim um desejo tanto intimo quanto
sublime, por tua alma e teu corpo tão divino.
Além de uma sede cujo os lábios doces de tuas
rosas, cujo tais lábios como os da boca, semelhava-se
a suaves e doce pétalas de rosas, seria em tais
lábios a única forma de matar tal sede.
Como é sutil quanto bela tua beleza que em
mim de forma tão simples, quanto sublime,
causa-me afeição em um puro ato de ama-la
com todo meu amor.
Tiago Amaral
Estrada do Sol
Um beijo, sim um beijo nas
profundezas da tua alma e
que acenda... luminosamente.
Explodindo como fogos de
artifícios, composto de estrelas.
E um sonho bom de sonhar,
seria toda tua sinuosidade,
sobre minha cama.
Fitada sobre meus olhos,
olhares.
Encantados e profundos.
Aprofundados numa profunda
admiração pelo seu corpo.
E quando eu penso em alguém
é nela que eu penso, é nela
que eu penso, é nela que eu
simplesmente penso.
É em, Carolina, que eu penso.
Nessa joia rara e preciosa, nessa
bela flor de girassol, de nome
Carol.
É na solidão que eu penso
que é tão irresistível quanto
minha paixão, tão irresistível
quanto meu amor.
É na estrada que eu penso,
sim, na estrada.
Na estrada do verde.
E na estrada do azul.
Nas estradas das montanhas.
Na psicodélica estrada do arco-íris.
E na linda estrada das estrelas.
E na belíssima e radiante
estrada do sol.
Tiago Amaral
Em Um Único Suspiro
Se da tua beleza fosse feita a primavera,
seria a primavera então a coisa mais bela.
Quanta alegria enchia-se os olhos meus,
com um simples retrato teu.
Vivia meu coração então pela distancia
a bater de esperança.
Colhi em um único suspiro toda tua
graça e esplendor feminino.
Através dos teus olhos e tuas virtudes.
Tão suave quanto doce, repousava-se no
coração da minha alma tuas lembranças.
Que em cada lembrança suspirava-me
de amor.
E que quando o amor é verdadeiro,
brotava-se no peito a flor da eternidade.
Por mais que o tempo passe jamais
deixarei de ter, a ti, o amor, pôs em
minha alma tua imagem já está cravada.
Tão doce era o encanto que nela se fazia-se
tão nobre quanto humilde.
E no amor eu me deleito na lembrança
do brilho do teu olhar.
Tal suave brilho que lembra cada
estrelas do céu.
Tiago Amaral
Apaixonado Profissional
Sou um apaixonado
profissional.
Tenho andado tão
apaixonado.
Vendo tudo azul além
do azul céu.
E para onde eu vou
me falta um pedaço
de mim.
Me falta dois olhos
castanhos.
Sou levado pelo meu
coração selvagem.
Um coração dependente
do meu amor.
Então tudo bem!
Sou um apaixonado
profissional.
Viciado em amar pelo
certo ou pelo errado.
Porque louco quando
ama não pensa.
Só ama!
Então eu mereço um lugar.
Um lugar no teu coração.
Eu mereço um lugarzinho
quentinho no sol do teu peito.
Mas tudo bem, meu bem,
eu sou um apaixonado
profissional.
Então um lugar ao sol eu
mereço, eu mereço!
Um lugar no teu coração.
Um apaixonado profissional
aposentado pelo amor.
Tiago Amaral
Manhã Fria com Corvos
Que manhã a estara tão fria, tinha acordado com o barulho dos corvos adentrando pela janela do meu quarto, como se um aviso direto da solidão cai-se sobre minha alma.
E a terra estava tão úmida, pelo choro dos céus na quela manhã. As gostas de chuva descia beijando a terra, formando pequenas poças de água. E escorria também de forma lenta, pelo vidro da janela, todo esse choro da chuva.
Uma pequenina aranha descia pela janela, tecendo uma teia, ela descia suavemente a procura de um novo lá, na quela manhã fria. Com a solidão a me fazer companhia.
Via através do vidro da janela os corvos na varanda, seus olhos negros e penas escuras, os filhos da noite na quela manhã fria.
E o sol brilhara tão fraco entre as nuvens, que mal os seus raios adentrava pelo vidro da janela chegando ater o meu rosto, pálido pelo frio da quela manhã tão fria.
Nada como um café bem quente numa manha da quelas, então fui pra cozinha pra prepara um bom café quente, para me acompanha na quela manha sombria
E os corvos continuara a bater suas azas, balançarem suas cabeças na varanda e a Crocitarem durante a quela manhã fria.
Voltava ater a janela e me abraçava com o corpo de café em uma das mãos a me acompanha na quela manhã fria de solidão.
Um andorinha era vista passando entre os chuviscos da chuva, dirigindo-se ao seu ninho, levando no bico uma pequena lagarta para seus filhotes, logo ali em uma arvore próxima.
De repente os corvos parecia agitados como-se algo horrível estivesse para acontecer, e era o que parecia de fato. O céu escureceu como se a noite tivesse chegado sem ao menos da um aviso prévio.
Então na quele momento uma forte tempestade chegava, fazendo o céu desabar de vez.
Eu segurei com as duas mãos o corpo de café e vi que aquele temporal não passaria tão rápido a sim e voltei para os bracos da solidão.
Tiago Amaral
Tanto Amor
Tanto amor eu tenho
pra você, minha flor,
meu amor.
Como é bom assumi...
Assumi pra mim, que
eu amor você.
Como é bom amar
você.
Morena linda que
encheu meu coração
de amor.
De tanto amor que eu
tenho pra você, minha flor
minha dor, minha alegria,
minha saudade, meu amor.
Como é bom assumi...
Assumi pra mim, que
eu te amo.
E como é bom amar
você.
Morena tão linda,
que parece até uma flor.
Que encheu o meu coração
de amor.
Tiago Amaral
A Verdadeira Companhia
A saudade que tenho nas puras recordações de verdade é a da minha pureza na infância. Do meu contato com os animais de como me sentia tão bem com estes. E em seus olhos via com ternura toda sua sinceridade e doçura no mais puro instinto que neles se expressava-se.
Em cada animal ou nas oportunidades de contato com a natureza sentia como minha alma sentia-se tão livre. Na sensibilidade que me aflorava profundamente da alma por cada animal que tive. Arde-se a certeza em meu coração que eles sim foram os meus amores na minha tenra idade.
Por esse amor via-se minha mãe obrigada manter algum animal como mascote em casa. Principalmente gatos, lembro do trabalho que eu dava por causa desse amor.
Em quantos outros meninos machucava cães e gatos numa demonstração de crueldade humana ainda na infância, tentando mostrar o quanto eram bestiais. Eu simplesmente os amavam.
Na maior parte daquele tempo de outrora no qual levou minha infância embora. Eu sempre tive do lado de algum deles uma real e verdadeira companhia. A sim jamais me sentir sonzinho e sim acompanhado de verdade de toda sua sinceridade. E esses foram os momentos mais feliz de minha tenra idade.
Tenho até hoje de lembranças cicatrizes em forma de carinho, frutos dos abraços, beijos e carícias para com eles. Nesse contato tão próximo que tive para com os animais. E sabia que mesmo que eu fosse ferido por algum animal ele jamais feriria minha alma muito menos meu coração.
Tiago Amaral
Lua, Amor
Lua, olha dentro dos meus olhos.
Veja e sinta uma eternidade...
De puro sentimento por você.
Lua, amor você nasceu pra mim.
Já estava escrito nas estrelas,
que esse amor não tem fim.
Lua, amor deixa eu ser o seu anjo,
deixa eu cantar pra você.
Lua, amor como queria
abraçar você...
Já estava escrito nas estrelas,
que você é o meu paraíso.
Que me prenderia no feitiço
do brilho do teu olhar.
Lua, amor tudo era vazio sem você,
até que você apareceu e acendeu
e tomou pra você meu coração.
Lua, olhar dentro dos meus olhos.
Veja e sinta o que já estava escrito
nas estrelas, que a dona do meu
coração seria você.
Lua, difícil é imaginar a vida
sem você, sem sua luz, pra
iluminar meu coração.
De pensar em te perder ou tentar
te esquecer, sendo que meu sonho
é você, lua, amor.
Tiago Amaral
Caótica e Doente
A única salvação do homem é a libertação dele mesmo. O homem é um escravo de si próprio.
É difícil para o homem vencer a suas próprias mazelas quando estás preso na sua própria ignorância.
O amor na sua plenitude é algo assustador para alguns.
Só haverá equilíbrio no mundo quando houver respeito entre homens e mulheres.
Vejo que a sociedade é um verdadeiro declínio, um abismo profundo e escuro a onde não a esperança; nem futuro.
Os animais a sim como todos os outros seres são os únicos que não se rebaixa algo inferior. Já o homem vai alem do animal e atinge um estágio de besta na sociedade.
O único caminho que realmente importa é o caminho de si mesmo. A sua descoberta espiritual. Cabe ao homem então percorrer o caminho que o leve ao seu "eu espiritual" Buscar um conhecimento profundo de si mesmo. Porque a sociedade adoece o homem de todas as formas possível.
Tudo hoje soa politicamente correto ater mesmo algumas religiões ou filosofias porque se não vira alvo das minorias.
A sociedade me soa caótica e doente. Não me interessa a me mais fazer parte desse inferno caótico. Então a solidão é um cais de porto. Um lugar profundo e tranquilo para se refletir. Uma deusa linda e encantadora.
A solidão e o amor são as únicas coisas que realmente importa. São preciosas joias. Sendo a sim o pior ladrão do mundo é o que te rouba a solidão.
O amor já não é algo bem vindo dentro da sociedade que esta completamente doente. O que é algumas cabeças boas no meio de tantas doentes ?! A sempre algum interesse dentro das relações humanas.
Tiago Amaral
Teu Corpo e Tua Alma
Quando passava até o ar fazia-se doce.
Quanta pureza havia naquela alma feminina.
Quanta pureza havia naquele olhar de mulher
e também de menina.
Tão linda que se faz a mais linda das flores.
Não existiria uma belíssima razão de viver,
se não existisse você. A mais bela razão do
meu viver, tu és a luz do meu amanhecer.
De todas as flores que vi você foi a mais
bela que já vi.
Que antes e nem depois de ti, meu coração
jamais amou, outra dama ou outra flor,
se não somente a vida e a ti meu amor.
Se da tua boca eu desejo o mel, que permita,
Deus, um dia beija-la.
Que permita-me então o senhor um dia,
provar o doce néctar, dos lábios teus.
Que é da tua beleza que se faz-se o encanto,
que nas flores mais bela, causa inveja.
Em meu coração e em minha alma, tão
puro se faz o desejo, que almeja com
fervura, teu corpo e tua alma.
Tiago Amaral
Minha Eurídice
Minha amada aquém o vento
traz em forma de inspiração...
Como uma suave brisa de verão.
Fonte de toda essa inspiração.
Que a sim como, Eurídice,
a morte levaste em bora.
Levaste o doce frescor do seu hálito,
mas manteve intacta tua beleza,
que só o tempo levará.
Entristece em mim a vida e
também meu coração.
Minha alma chora com razão,
Carolina, minha Eurídice.
Minha lira perde-se a paixão.
Em cada nota que forma a canção.
Tão pura ela era como uma gota
de orvalho. E linda como uma
eterna rosa desabrochando.
Tiago Amaral
Numa Roda de Fogueira
Pela estrada vou correndo,
vou vivendo.
As estrelas simplesmente
me disseram que o meu
caminho... é a estrada.
Então sinto o silencio e
pela estrada vou
caminhando o meu
caminho sozinho.
Me aventurando livremente
pelo mundo.
Não prenda um leão pôs
não vai gostar quando
ele mostrar as presas.
Então eu mesmo escolho
o meu caminho, procurando
Deus, sozinho, procurando
a mim mesmo.
Então sigo o caminho que
me pertence.
Conheci algumas pessoas;
numa roda de fogueira
com minha voz rasgada,
desafinada e meu violão.
Cantei minhas histórias e
quando olhava para
as estrelas só conseguiam
lembra dos olhos dela.
Tiago Amaral
No Mar da Lua
Navegar no mar de minha
deusa.
Flutuar no luar da lua.
Destilar entre areias com
a voz dela de sereia.
Te quero tanto minha
deusa... muito mais do
quer tudo.
No universo dos teus
olhos fazer do meu sonho
realidade.
Te amo tanto sereia que
na imensidão do universo...
te vejo sempre como uma
estrela... linda!
Traços as estrelas e vejo
o teu rosto.
E fico mais apaixonado.
Te desejo tanto sereia
que na saudade fico
pensando só em você.
Meu pequeno talismã.
Te amo tanto meu amor.
Que de saudade fico só
por você morena.
Tiago Amaral
Te Marquei No Coração
Sei rimar amor com solidão por isso não me falta
emoção, muito menos amor de verdade no coração.
A terra não é plana, mas meu amor é pleno,
tanto quanto sereno.
E o amor é fogo eterno que não se apaga, a sim
como as chamas do Sol, não pode ser apagado
Amor sem sofrimento não é amor é ilusão.
Amor é provação dada pelo divino ao coração.
Preciso pronunciar, falar, o seu nome sobre o luar
para me fazer suspirar, além de sonhar em
eternamente te amar.
E uma vontade tão grande nasce, brota em meu
coração, dentro do meu peito.
Em dizer para o universo o quanto queria que ela
soubesse o quanto a amo.
O quanto me faz penar e ser feliz o amor que
guardo e cultivo o protegendo para ser só teu.
Preciso contar então para Lua o que guardo
em meu peito no fundo do coração.
Preciso dizer para as estrelas o que guardo em meu
coração no fundo do meu peito.
Então digo para elas: “Meu amor é uma dama,
uma fêmea tão linda, cujo só os olhos de felina
se faz ser a coisa mais linda, que já vi.
Sobre tua doce pele pelos que suavizam ao ar,
como uma suave e doce relva que me faz amar
além de suspirar.
Sobre teu corpo sublimes e douradas pétalas de
flores que me desperta mil amores, recair sobre ela.
Que do Tempo eu gostaria que ele voltasse no
momento que vi os seus olhos, para que novamente
pudesse-me, sentir o amor nascer por ela e te dizer:
“o quanto te amo.”
E que na Eternidade meu amor permaneça, para
que a sim eu possa ama-la, para sempre”
Te desenhei nas estrelas e te marquei no coração.
Tiago Amaral
Na Imensidão Vazia
A tristeza simplesmente me recobre e os olhos do gato alimenta a minha alma como o brilho das estrelas. E nada, nada poderia estar mais morto do quer cada pedaço de mim a vagar nessa solidão, tremulo. Em uma noite em que o meu corpo parecia estar frio, sempre frio, como um cadáver a descansar seus ossos em sua tumba junto de um silencio sepulcral ao redor.
E minha alma a viver por ainda sonhar com o brilho daquele olhar pela noite morta caída sobre mim com o céu cheio de estrelas. E a lua a mim olhar e não a mim julgar nessa imensidão angustiantemente vazia.
Estou vivo em meio a morte e a essa deusa chamada solidão a me seduzir ao tomar a forma de minha amada Carolina. Se formando na coisa mais linda que meus olhos já viram desde que se abriram nesse mundo doente.
E a tristeza recobre a minha alma como um cobertor frio e molhado e ao mesmo tempo quente e morno me deixando ainda mais angustiado naquela imensidão vazia a onde no solo nada se via a não ser o vazio que ali havia.
Então restava-me abraçar a solidão e foi o que eu fiz naquele vazio claro e silencioso cujo eu sentia-me perdido no espaço a vagar numa constante dimensão a onde a única coisa que me dava força era a luz do sol e a lembrança do brilho dos olhos de minha amada.
E nessa dimensão dela mim afastava e então perante as estrelas durmo pensando nela.
Tiago Amaral
Oh Musa
Oh musa, cuja a semelhança
a semelhasse a uma flor.
Sendo então a mais bela das
Flores a mais sublime das rosas.
Oh musa, que tua sabedoria
te leve com cuidado pela
estrada da vida.
E também em suas escolhas
minha doce e linda flor de lírio.
Sublime alma gentil e generosa
que se faz de tão humilde.
Que meus olhos e minha alma
só tem agradecer por tal
beatitude que foi te conhecer.
Que nos braços de um medíocre
homem, tal desperdiço seria.
Pôs jamais tal homem enxergaria
todas as tuas virtudes.
E a beleza de tal doce alma,
livre, livre como o de ter o prazer
de te ver e amar a você prometo.
Oh musa, minha amada, se
porventura eu esteja fadado
pelo destino através das mãos
do senhor a tal desejo e amor.
Prometo-te meu amor este que
vos escreve, que recitarei a ti esses
versos, que escrevo através do
mais puro e singelo amor.
És tu que me faz viver pôs cada
ar que respiro eu sinto teu cheiro.
Cada letra do teu nome me
faz suspirar ao me fazer lembrar
que para sempre eu vou te amar,
Carolina.
Tiago Amaral
Céu Estrelados
Atravessava-se o universo como vespas luminosas e se contorciam entre linhas abstratas e igualmente luminosas. E eu abaixo das montanhas a admirar todo aquele resplendor celeste. Que só não era mais bonito que os olhos dela. Então me lembrei da tua inesquecível e sublime existência. Minha amada musa Carol, Carolina.
E no amor por ela me movo e no amor por ela escrevo todo meu amor e desejo. Pela rosa que se faz ser a mais sublime e formosa.
Em cada pétala dessa flor só restava-me a suspirar de amor.
E o sentimento de amor se fortalecia aquecendo-se no interior de minha alma e eu simplesmente esquecia das estrelas ao ver nelas o brilho dos olhos dela. E de novo e como sempre os sentimentos se fortaleciam como uma corrente de aço atravessando o espaço, revestida do fogo flamejante da minha, Kundalini. Um fogo sublime e intenso que por tua pura alma e pelo teu doce corpo eu sentia, num fogo eterno, eternamente eterno.
E me via a mergulhar em um lago luminoso e quente da minha própria alma.
Era então eternamente bom lembra-la. As montanhas me cercavam e as estrelas testemunhavam juntas com a lua a me iluminar, todo o meu amor que por minha musa retenho no fundo do meu coração selvagem, nas profundezas da minha alma solitária.
No coração desse leão das montanhas um amor místico guardo.
Tiago Amaral
Coincidência e Circunstância
– Fritei um ovo, ou melhor fiz um ovo mexido do jeito que você gosta. Agora coma e para de fazer pergunta sobre seu pai – disse a mãe.
E o dia do lado de fora visto já vidraça da janela da cozinha, com cheiro de café da manhã, estava meio acinzentado. Parecendo que acabou de chover ou a chuva estava para vim. E era um clima tão tenso quanto o clima cá dentro da casa.
– O imbecil do seu pai não foi um herói de guerra. Foi um idiota que nos abandonou e simplesmente foi embora. Não era isso que você queria saber? – disse a mãe.
Será que para uma criança não era uma carga pesada demais? Mesmo a criança querendo saber a verdade sobre seu pai? Mesmo a verdade sendo tão importante? Pesada ou não é melhor dizer a verdade do quer escondê-la por debaixo dos panos.
E do outro lado da rua daquela cidadezinha americana tão pacata. Havia outra casa bem na frente, frente a frente com a outra. Como se estivesse uma olhando para a outra. E nessa outra casa se passava mais ou menos a mesma história.
– Coma o seu café da manha que eu fiz com tanto carinho. E tente esquecer da sua mãe. Eu sinto muito – disse um pai a sua querida filha.
Ambos os pais moravam praticamente um de frente por outro a quase 20 anos e nunca se falaram. Muito menos se viram olhos nos olhos, pareciam então que moravam em galáxias, planetas, mundos totalmente diferentes um do outro. Pôs nunca se viram e quando digo nunca é nunca mesmo.
Suas vidas tão parecidas. Mas, tão distante uma da outra devido a tantas coincidências e circunstâncias.
E parecia que o inverno não e a embora tão sedo, por ter simplesmente acabado de chegar também tão sedo, bem naquela manhã tão fria.
Quem diria que quando o inverno fosse embora ou simplesmente passassem. Algo tão inesperado quanto impossível, aconteceria na vida daquela mãe e pai solteiros. Que teve seus destinos traçados e mudados por erros cometidos durantes suas vidas.
– Sua mãe simplesmente não prestava. É isso minha filha, ela apenas te deu a vida e depois foi embora – disse naquela mesma manhã o pai a filha.
Então o tempo frio do inverno tinha felizmente se passado e numa manhã o verão nascia, junto com o sol tão quente, quanto contente e caloroso.
E ao mesmo tempo que cada um deles seguia para o lado oposto. Ao levarem seus filhos para escola. Naquele primeiro dia de verão mostrou como depois de tantos anos, vivendo um de frente por outro, numa cidadezinha tão fria e pacata. O sol uniu pela primeira vez os seus olhos daquele casal de pais solteiros.
E tanto, Clara, quanto, Lucio, tiveram a mesma ideia, que foi a de acampar em um parque florestal perto das montanhas. E por pura coincidência o filho de Clara se chamava, Lucio, chamado carinhosamente pela mãe como: “Lucinho” E a sim como a filha de Lucio também por um tal e pura coincidência, se chamava Clara, chamada carinhosamente de: “Clarinha” pelo pai.
E quando abriram a porta de casa praticamente ao mesmo tempo os olhos de Lucio e Clara se encontraram. E ambos sentiram uma alegria inexplicável e Lucio correu ater a vizinha Clara, que era mais nova do que ele e disse:
– É a primeira vez que eu ti vejo aqui, eu me chamo Lucio, é um prazer te conhecer – disse ele tão encantado com a moça.
– Eu me chamo Lucia é um prazer para mim também. Moro aqui a tanto tempo. Quase 20 anos.
– E eu bem mais – lembrou Lucio – Então ele perguntou – Para onde vocês estão indo?
– Estamos indo acampar no parque florestal entre as montanhas.
– Eu também com minha filha – disse Lucio seguindo de – Podemos ir todos no meu ou no seu carro.
– Serio? – disse Clara seguindo de mais algumas palavras também, como – Maravilha, então está bom. A sim podemos nos conhecer melhor.
– Perfeito! – disse Lucio sorridente.
Desde daquele verão ambos viveram juntos para sempre, seja por coincidência e circunstância, o amor simplesmente acontece, quando tende de acontecer.
Tiago Amaral
Pleno Amor
Tão forte é o desejo que por essa
dama vem em forma de onda e
de chamas.
Se ela soubesse o quanto tempo
a esperei.
Que a esperei a vida
toda.
Amo em ti o que os meus olhos
não via.
Mas o que o meu coração
sentia.
Só os enamorados sentem o gosto
do amor quando se encontram.
É nos corações dos enamorados
que a esperança do amor nunca
morre.
Se é verdade que o amor é cego
então é verdade porque pra mim
você não tem defeito.
Com os olhos eu te vi com o
coração eu te sentir com
a alma eu te amo.
E o amor aquece alma como a luz
do sol aquece o corpo.
Então duvide de tudo, mas jamais
duvide do meu amor.
Tiago Amaral
Amor Por Ti
Sei que amar faz penar,
mas também me faz feliz te amar.
A esperança é a unica coisa a
não morrer nos corações dos
enamorados.
Duvide de tudo mas jamais
duvide do meu amor minha flor.
Te amo tanto que se eu dissesse
que não te amo, estaria
eu contanto a maior mentira
a mim mesmo.
Não posso exigir amor
mas posso da amor.
A lua e as estrelas são as grandes
testemunhas desse meu
grande amor por ti.
Meu amor por ti é uma arvore
cuja as raízes estão enraizadas
no coração do infinito.
Se nossos corpos não estão casados,
nossas almas já estão.
Todo meu amor a ti guardo,
desde do momento que nasci.
O que pode durar mais que
o universo e a eternidade?
Só mesmo o meu amor por ti
que é tão bonito quanto o
infinito dos teus olhos tão
lindos.
Te amo pôs jamais mentiria
para mim mesmo.
Levaria uma eternidade
para-se descrever
o meu verdadeiro amor por ti.
Tiago Amaral
Amor Transcendental
O que cabia em meus olhos se não
toda gloria e beleza de tal dama cujo
os meus olhos jamais havia visto algo
tão sublime cujo em mim despertou o
mais puro amor.
Oh musa celeste a qual em meu
coração retenho amor e paixão
que por tal razão e ato meu coração
a ti pertence.
Dama gentil e graciosa cabia a me te
amar pelo fim de um sonho que foi o
de te reencontrar nesta vida.
Musa inspiradora dona dos meus
versos mais belos que para ti
guardarei eternamente, para sempre
dentro das profundezas do amor,
que por ti sinto desde que a
conheci meu amor.
Sublime brilho celeste que dos teus
olhos me traz nostalgia das tuas
doces lembranças.
Meu amor serei para sempre o teu
anjo.
Como sé fosse fácil esquecer a força
da tua vida, como se fosse fácil
apagar a chama infinita do amor por
ti, meu amor que por toda eternidade
te amarei.
Transcendendo as correntezas do
tempo e do espaço da vida e da
morte, por toda eternidade te amarei
meu amor, por toda eternidade o brilho
dos seus olhos meu amor.
Tiago Amaral
Inconscientemente Consciente
É caminhar a esmo como um animal ferido.
Um corte de navalha no calcanhar, um tiro
de rifle na perna.
Oh gloria dos doentes corrompidos, onde estás?
Por essas ruas desertas? Por essas calçadas frias?
Na busca de conhecimento em um vazio constante.
Corpo condenado, vagando sem espaço algum,
no vácuo de um lamaçal ondulatório.
Carniça podres agonizam pela cidade
a vida que lhe foi tirada.
Nascemos condenado a viver, sim a viver.
Um poeta revoltado, revoltadas distorções
em forma de letras e palavras.
Então não me procure, que ninguém me procure,
porque não tenho nada para oferecer a ninguém.
Além de poesia e arte, além de minhas próprias
loucuras e paixão.
Sou um marginal e problemático intelectual.
Apaixonado pela vida, apaixonado por uma mulher.
Viva a liberdade, viva todo tipo de liberdade.
O homem nasceu para ser livre, livre nessa
imensidão, livre nessa grande imensidão.
Em baixo desse punhado de estrelas.
Em baixo desse céu azul, azul que os olhares
loucos e apaixonados fitam, fitam na mais
louca paixão; acidez...
Que só os loucos tem, loucos por amar, loucos
por sentir, loucos pela vida, loucos para serem
socorridos, loucos para por pra fora, o que só
a alma senti.
Loucos por desejarem, loucos por desejarem
a si mesmos, na mais pura intensidade.
Brilhando-se como vaga-lumes, queimando,
queimando intensamente como, estrelas,
perdidas no universo.
Porque somos mentes, mentes pensantes,
inconscientemente consciente.
Por quer somos almas, simplesmente almas,
que queima, que reluz, na mais pura louca
intensidade.
Queria acordar um dia e ver feliz o clarão
lindo do sol e seus raios caindo, tropeçando,
descendo acelerados, como ouro derretido,
sobre todo chão verdejante, um belo dia azul.
Do meu lado só queria uma garrafa gelada
de vinho e talvez minha amada.
Tiago Amaral
Almas Entrelaçadas
Nossas carnes quentes,
corpos em chamas.
Nossas almas entrelaçadas
no infinito.
Em quanto nossos corpos
estão na cama.
E o peso do amor está além
das estrelas que recair sobre
nos.
Então como posso negar
tal sonho ?
Minha alma em chama
fervia.
Meu coração pulsava,
nossos corpos brilhavam.
Uma luz quente na escuridão.
E a emoção era sentida na flor
da pele com paixão.
Através da minha alma
soando como uma canção.
Olhos nos olhos, corpo
com corpo, alma com alma,
entrelaçadas pela eternidade.
Então pela eternidade dentro
dela eu descansava no amor.
Tiago Amaral
A Adormecida
Como era lindo os olhos dela,
a sim como a vista da lua
pela janela. Mas vai além,
além como o infinito,
mas muito mais
bonito. É como imaginar
ela dormindo.
Adormecida, bela,
bela e adormecida em
meus braços. Tão linda
e eu diria:
– Te amarei,
te amarei eternamente,
Carolina.
A ronronando em meus
braços, uma gata garota,
menina mulher, fêmea felina.
Vai ser pra ser sempre
tão linda, minha musa,
minha rainha, minha deusa.
Felina, Carolina,
que olhos tem essa
menina. Que dorme
em meus braços tão linda.
Tiago Amaral
Gloriosa Dama
Que nu puro ato de pensar sobre tal maravilhosa dama. Meu coração de forma tão
sutil quanto singela, dizia-me, que amava. Cujo então meu coração a mim
mais, não pertencia.
Se não a aquela gloriosa senhorita. Cujo que porventura sempre aviste cada vez mais magnificar. Dando aparecer que o tempo para ela ou para meus olhos não passassem. Então não seria capaz de dizer ou descrever o que por destino fizeste bater meu coração tão forte
por ela. Passaria-me eu a eternidade para descrever tal amor. Que por minha amada sinto
tão forte pelos olhos e olhares dela. Então o que meu coração ansiava, aconteceu, fazia-se presente a minha amada a corte.
Gentilmente meus olhos e olhares a glorificavam. Em quanto ela com toda tua nobreza e humildade se dirigia até as outras damas.
Se entre os astros e estrelas fosse posta tua beleza em comparação, seria a minha amada a maior de toda a beleza celestial. Então todos os astros haveriam de se dirigir a minha amada para glorifica-la.
Que se na dor começa o amor que no amor termina-se a dor. Ou seja, digo:
“Que no amor começa
o penar que no penar
começasse o amar.”
Pôs creio que não a sofrimento algum no amor. No ato de amar, que por tal dama tenho. E toda beleza da vida quanto dela, que de forma tão singela me causa afeição.
Que pela lei do infinito e suas regras pousara então em meu coração. Seguindo aquela cujo o nome refiro-me a: “Eternidade” que por ela então em meu coração pousará aquela cujo ao pronunciar teu nome me faz suspirará, falo-te de, Carolina.
Tiago Amaral
Artista
Se ser artista em qualquer lugar já não é uma das tarefas mais fáceis no mundo. Imagine então em um país decadente como o meu, o Brasil. A onde milhões são roubados todos os anos e só 3% são investidos na cultura. Ouvir isso simplesmente de funcionários de bibliotecas públicas da minha cidade.
Ou seja, quer ser artista, viver da pura arte, o melhor caminho ou lugar é o aeroporto. Se você no caso for um brasileiro. Se não for, também a melhor saída se você estive no Brasil, continua sendo o aeroporto.
Quer ganhar dinheiro? Vá trabalhar, da duro ou se prostituir. Quer ficar famosão? É mais fácil é só ficar peladão girando a manjuba. Como o artista peladão do MAM. Arte se faz por amor, um dom divino dado por, Deus, a grandes mestres das artes.
Ser escritor, ser um artista, é simplesmente ser um criador. Você criar! A sim como Deus cria, o artista também cria na sua completa reclusão, acompanhado da solidão. Tendo o dom da criação ele cria, descrevendo, pitando, desenhando, expressando seus sentimentos. Tendo este como sua fonte de espiração.
O amor a vida, o amor a tudo, o amor a uma mulher a sim como, Dante, que também amou a vida e devido ao seu amor incondicional. Foi alçado a nível de metres da humanidade e santos como: Cristo, Buda, Krishna. E também a homens como: Nietzsche.
Shekespeare tinha como sua maior fonte de inspiração o amor a tudo. E a sim como Shekespeare e Dante, amo cada folhar verde e criatura a caminhar pela natureza. E simplesmente amo a vida do fundo da minha própria alma.
E a sim como Dante, amou incondicionalmente, Beatriz, transcendendo esse amor além do tempo, vida e ater mesmo da morte. Eu também amo uma mulher, seguindo os passos do meu mestre. Que a sim como ele teve Beatriz como sua principal fonte de inspiração. Também tenho minha amada e sublime musa. Divindade feminina, deusa celeste de olhos tão gloriosos, cujo tomaste meu coração por inteiro, desde do momento que fitei os meus olhos, nos olhos dela.
Então se és artista? Crie! Ame! Se expresse! Ponha para fora de forma mais visceral que for capaz de criar e então por fim crie. Faça arte, mas que faça bem feito. Procure sempre estudar e ser melhor do que você mesmo. Sempre!
Seja louco e autêntico, original e não mais um medíocre. Ame a arte como se ela fosse sua alma, ou a mulher realmente amada. Ou a mulher também que lhe deu a vida, lhe botando sem você querer ou não. Nesse mundo cruel e repugnante, onde cada bebe chora ao nascer. E seja o que Deus quiser ou abandone a arte. Já que certamente ela não foi feita para você.
Amo e desejo tanto a gloria quanto desejo a minha deusa amada. Mas só uma eu sei que me deseja tanto quanto eu desejo ela. A gloria! Seja eterno!
Tiago Amaral
No Lago dos Cisnes
Reteve em mim o que
longamente o vi, o brilho
dos teus doce olhos.
O que em mim florescia
toda beatitude ao ser
contemplado com a
presença gloriosa de
minha amada.
O que fazia-se o amor
ter tal poder sobre mim.
Pôs em mim cabia o amor
ter poder tal poder
a mover o que por
minha amada sentia-me eu.
E sobre o que por minha
amada sentia, sentia-me
eu no mais fundo da minha
alma. Restava-me os suspiros
a seguir minha amada por
mim fazer suspirar por tua
gloriosa presença.
E o que se partiu deixava-se
em mim a saudade.
E de forma tão nobre
que não a como se crê.
Oh musa que ganhaste
de mim, das profundezas
da minha alma o meu coração.
Tiago Amaral
Eterno
E ali sobre a solidão, rugia o vento e em outra hora o mesmo uivava como um lobo solitário, ao uivar a para a lua cheia.
Sentado de frente de um cemitério ater que alguma coisa me arrastou para dentro. O que parecia ser um chamado para minha alma e meu corpo abatido.
E seguir simplesmente o chamado obscuro e tão sutil que o meu coração simplesmente palpitava pela falta de medo e também de emoção.
Sentia-me como parte daquele lugar frio, escuro e tenebroso, descanso dos mortos. Cujas as luzes presentes no lugar, era o que me dava medo. Atraindo também os insetos para aquele lugar através da luz.
Lugar cujo os corpos dos mortos repousavam e descansavam em descanso eterno de total solidão. Pôs tinha eu por isso algo em comum com aquele lugar tão inóspito, quanto a minha própria existência, sobre essa terra.
E minha alma angustiada e amarga era alimentada pela falta do medo o que parecia algo tão perturbador e incomum. Ater para mim mesmo que me encontrava-me naquele lugar. Numa total solidão e tomado por uma completa sensação de vazio por dentro.
Um homem vazio e solitário, sem medo de nada. “Estava-me então doente ou adoecer pela falta esmagadora da presença do medo? Tanto em meu corpo quanto em minha alma?” Era o que me perguntava, tendo como companhia a minha própria sombra e a solidão. Parecia então que não me havia mais um coração e nem alguma razão de fato para esta ali. Em um lugar que para mim era como o colo e os braços de uma mãe. E me sentia confortável e protegido de mim mesmo.
E foi num fim de uma tarde vazia e estranha como se fosse pela primeira vez, que aquele fim de tarde havia ocorrido. E a noite então corria tão rápido, chegando, tomando o seu lugar e conta também, daquele lugar.
Leves barulhos das azas dos corvos, pousavam sobre os galhos secos das arvores. E pareciam que todos eles me olhavam, mas não se perturbava com a minha simples presença, naquele lugar. Tanto que um deles logo em seguida pousava sobre um dos meus braços e voava logo depois. Para seu posto de guardião daquele lugar.
As sepulturas, covas, túmulos, nada disso parecia me assustar e a tomar conta do meu corpo e da minha alma, através do medo. Pôs medo eu não tinha mais. Eu simplesmente nada sentia. E algumas sepulturas acinzentadas e velhas pela ação do tempo que simplesmente não existi. Me traziam memorias de vidas passadas e aquilo para mim causava uma sensação tão estranha, que repentinamente tive uma leve tontura e voltei a si. Mergulhado naquele lago escuro a onde eu não me debatia eu simplesmente mergulhava cada vez mais fundo.
E nada, nada é melhor do quer ter alguma coisa para amar. Então por alguma estranheza eu simplesmente amava aquele lugar. Tão arrepiante a noite cujo a mim não me causava arrepios, mas sim alegria. Por alguma coisa que eu nem sabia ou conhecia, mas que ali vim a descobrir o porquê. Daquele cemitério me causar uma forte atração, cuja para mim, tanto para o meu corpo e para minha alma, era algo impossível de resistir.
Não tinha lugar melhor para uma mente perturbada como a minha ir. A se deixar ser levada e carregada para aquele lugar. Que para alguns era algo perturbador. Mas, para mim era como o próprio paraíso. Um mini pedaço do Éden ou dos Elísios a noite.
E nada era mais perturbador para mim do quer a minha própria mente. E minha solitária loucura repentinamente. A mim perturbar com as minhas próprias confusões mentais. Então logo os meus olhos avistaram uma sepultura branca como se fosse feita de pura porcelana. Cuja havia um anjo debruçado em prantos sobre ela. E quando me aproximei mais de perto daquela sepultura a atração por aquele lugar e a se tornando cada vez mais forte. E logo eu comecei a ouvir cantos de louvor, onde reinava um eterno e puro amor.
E ao me próxima mais, vi na sepultura um retrato de uma linda jovem, que viveu a tanto anos a trais. Cujo os olhos me deixaram completamente apaixonado logo que os vi. Por transmitir tamanha pureza e um forte e caloroso amor feminino. Então ao olhar direito para a escultura do anjo, debruçado sobre a sepultura daquela jovem falecida, percebi que ele tinha a minha face. A mesma face, mas não tive tempo de me questionar sobre aquilo. Pôs memorias de um amor de vidas passadas tomou conta do meu corpo e também de minha alma. Que logo também se encontrava-se apaixonada. Então de frente sobre para a sepultura eu chorei. Me debruçando em prantos de frente por anjo, também em prantos.
Tiago Amaral
Alma Amada
Gloriosa és tua existência.
Minha alma então se eleva,
para glorificar, tal alma amada.
Então de amor olhaste para
os olhos de minha amada.
Tal gloria tomaste-me de
amor por inteiro.
E através dos olhos, fique-me
admirar, tal coisa magnifica.
Que radiante fazia se bela.
Do olhar fazia-se sublime.
Da voz a simples louvação
do amor, que de mim, não
tinha só o amor, mas também
o meu louvor, no puro ato de amor.
E não a outra que com tal graça,
se faz bela, como minha amada.
E os olhos daquele que a veja,
tenha no puro ato, ser grato
por tal beatitude.
De ter a luz dos olhos dela,
que radiante em mim, fazia-se
eternamente bela.
Oh coisa mais gentil que
atua grata existência.
A mim ao meu coração
pertencia, não só o amor.
Mas tal gratidão, que
elevaste a minha alma.
Para a sim pode-te,
eternamente amar,
tal alma amada.
Tiago Amaral
Entre o Frio
Interessante como os olhos através dos olhares eram.
E ao longe ao observar o mar o frio estava perto.
Interessante como a cor da pele eram.
Nasci para ser feliz na solidão.
Interessante como a escuridão dos cabelos eram.
Cada nota da canção tudo soando tão doce no coração.
Olhos de uma deusa que me mostra o paraíso.
Me encostei ali só para observar o mar.
Que dia frio na calada do dia, encosta e me abraça.
O vento me abraçava com os braços frios.
Poemas a voar ao recitar sobre o amor.
Velhas memorias de outrora, lembra-me uma garota.
Uma linda garota de vidas passadas.
E os raios a coroar seus lindos cabelos.
Linda, linda como uma girassol de nome, Carol.
Engrenagem do amor rotacionando sem parar.
E os pensamentos da alma era os mesmo.
Lembro que a amava, lembro que tinha amor.
Amor por aquela flor de girassol de nome, Carol.
Na presença do nada perdido pelo mundo.
Não esquecerei seu nome nem mesmo por um segundo.
Abraçado pelo frio e aquecido pela engrenagem do amor.
Tiago Amaral
Selvagem e Livre
Pessoas verdadeiras são as loucas e no seu interior a humanidade delas se reflete como algo puro e verdadeiro.
Ao tocar o verdadeiro real sentido da vida uma alegria inexplicável me envolvia tomando conta de mim e do meu coração o enchendo de paixão e de amor pela vida. Intensificando esses sentimentos que já eram frutos normais do meu ser interior. Que só se intensificou com as lições e testes da vida e do destino.
Quando a noitecia e as estrelas nasciam com seus brilhos celestes a lua então tinha a vez dela. Então a própria apareceu para que eu pudesse para ela uivar minha livre liberdade. Nessa hora não havia nada, porque simplesmente não a nada, mais puro do quer a liberdade. A não ser a beleza da aurora que a própria liberdade me dava o prazer de ver e de poder comtemplar em pleno meu viver.
Quero morrer em plena liberdade longe da sociedade que nada tinha a me oferecer a não ser obrigações e limites para viver. E ainda uivando para lua a morrer na minha forma original de ser, livre e selvagem.
Tiago Amaral
Vasta Vastidão da Minha Mente
O amor me inspira, inspira-me o que por minha amada retenho em mim. Oh gloria! Onde está tua verdade?
E os miseráveis a caminhar por ruas acompanhado da escuridão pela noite escura. Brindo com a solidão cada copo de vinho dentro dessa imensidão vazia.
E onde está a beleza da aurora nessa noite? Ela surgir entre as estrelas entre a escuridão crua e fria do infinito.
E quando falo dela é como se eu falasse de amor em sua forma mais sublime e completa.
Destilo de mim a dores nesse frio puro de inverno e abstenho-me da gratidão alheia desse mundo de almas penosas e efêmeras.
E o mundo a soa-me como a palma de uma mão aberta e eu um grão de areia com 15.000.000° C como o próprio sol. Quente e intenso como uma estrela perdida nesse universo cintilante, frio, escuro e vazio.
E o verdadeiro nome do amor é infinito.
E o ar frio e acompanhado da chuva recai sobre a cidade em um tom de melancolia e tenacidade sobre a calçada que suspira friamente.
Almas perdidas a caminhar sobre o nada pelas calçadas frias sobre a cidade.
– O que o entristece?
– Não ter para onde fugir!
E a noite a chegar como um abraço noturno e sorrateiro. Tenho estudado ultimamente muito o, Shakespeare, é admirável sua genialidade e seu amor a vida. Já Dante não tinha só o seu amor a vida, tinha também, Beatriz, e aquilo era sublime tanto quanto espiritual e verdadeiro. Transcorria-se por mim o mesmo, transcorria-se por mim todas as diretrizes do meu destino, da palma da minha mão ao interior da minha alma.
– Que loucura toda essa vasta imensidão.
– Vasta e tenebrosa repleta de melancolia sobre essas pobres almas efêmeras.
E um frescor recobre sobre minha mente e mim propunha a escrever o quanto estou carrancudo e isso foi uma casca, uma proteção que me impediu de ser apenas um idiota nesse mar de mentes. Antes era só a juventude e a idiotice natural, hoje é tudo, tudo me serve para me fazer estar descontente no simples fato de caminhar nesse mar de lama que é o país onde vivo e nasci.
Agora na vasta vastidão da minha mente deixada agora no vácuo me proponho a parar.
Tiago Amaral
O Desejo do Amor A Minha Amada
Como se de forma tão pura,
quanto sublime, fazia-se meu
desejo por ti.
Nisso por paixão vinha
pelo, ar, teu cheiro.
E o meu ato de te amar
o sentia no ar, como se
tal aroma, anunciasse a chegada
da primavera.
Ah se minha amada soubesse
o que senti meu coração por ela.
De forma tão secreta que tudo
que escrevi até agora, não
descreve tudo o que sinto por ela.
E no momento no qual desenhava
teu rosto, olhava para estrelas...
E o brilho de cada uma delas
lembrava-me os teus olhos
e o desejo de um dia ter
teu sorriso a sorrir só pra mim.
E os olhos dela a olhar só pra mim,
cada um deles como uma linda
noite de estrelas.
E nos lábios dela cuja a semelhança
lembrava-se, suaves pétalas de rosas,
onde brotava-se um néctar
tão doce, que tamanho se
fazia-se o meu o desejo de
neles, minha sede matar.
Tiago Amaral
Carta de Amor A Minha Amada
Tão bem pensar em ti me faz, amada minha.
Cujo no coração guardo com amor o que só
a ti pertence, todo meu amor.
Nada me faz suspirar do que saber da tua existência.
E que tal coração jamais terá outra dona, jamais,
se não a ti, minha amada Carolina.
Sendo então o que jaz aqui, é tão meu quanto teu, só teu.
O maior bem para o homem é a beleza, alma e o coração,
da mulher amada. Sendo então meu amor tu o meu
maior bem. A coisa mais preciosa que em meu coração
passou e nele eternamente repousa.
Então Carolina, minha amada Carol, escrevo-te essas
singelas palavras na qual da alma, expresso-me apaixonado.
Que mesmo no momento de saudade e angustia, o
mais rápido e puro ato de em lembrar de ti, já me faz
suspirar, amada minha.
Meus pensamentos são guiados pelo teu cheiro
suave de rosas e tão puro quanto o orvalho.
Sentia então tão forte tua alma composta
por versos e lirismos, no qual em minha alma sentia-se
pela sua, um puro e intenso amor. Batia então em meu
coração uma forte e pura emoção de saber que sempre
te amarei meu amor, sempre te amarei minha flor.
Cujo as vezes te vejo cercada de flores, cuja tua beleza
tem-se mais beleza que todas elas juntas.
Então minha amada cujo esses versos nascido da alma
de teu eterno enamorado, a ti dedico e te eternizo.
Quão belo seria o destino no qual juntos e unidos
permaneceríamos, casados de corpo e alma.
Eternamente unidos no amor, minha flor, meu amor.
Tiago Amaral
A única coisa realmente boa do natal é a comemoração do nascimento de Cristo, que ater poderia não ser comemorado todos os dias. Mas os seus ensinamentos deviam serem praticados e levados todos, todos os dias. Dos pais pôs filhos, das escolas para os alunos, a todos do mais novo ao mais velho. Em vez disso só vejo pessoas querendo destruí a família e os valores nobres e familiar. E abaixar cada vez mais o ser humano a nível de um animal. Ou pior de uma besta infernal. Tiago Amaral