ONDE OS FRACOS NÃO TEM VEZ...
Errar é humano.
Perdoar é amor.
Pedir desculpas demais é gostar de errar.
Insistir no erro é burrice.
Negar a verdade é mentir pra si mesmo.
Sufocar um sentimento é morrer em vida.
Acreditar que é impossível é não crer em milagres.
Acreditar no impossível é ter Deus na vida.
Sonhar é desejar alto.
Ter é questão de lutar.
Conseguir é mais 500, mas não é sinônimo de impossível.
Mas se acomodar é se render ao destino.
Não se arriscar é SIMPLESMENTE ter medo.
Desistir é não insistir no que dói.
Recomeçar é questão de coragem.
Abandonar é para os fracos.
Ingrid Oliveira
A VERDADE...
A verdade é que sonhar demais faz mal.
Criar expectativas demais faz mal.
Na verdade, tudo em excesso faz mal, principalmente quando diz respeito às nossas perspectivas pro futuro.
Melhor viver o presente e não pensar tanto no futuro. Afinal de contas, o futuro é incerto e na maioria das vezes será apenas as consequências de nossas ações no presente. Mas de qualquer forma, o futuro é uma grande incógnita e o acaso, uma grande surpresa.
A vida é assim, feita de ganhos e perdas, com todas aprenderemos alguma coisa e em algum momento sempre desejaremos ter agido diferente.
Mas o tempo não volta, não existe viagem no tempo.
Você por acaso já conversou com alguém que se dissesse ser do passado ou do futuro? Já leu algum artigo que apresentou alguma evidência que isso tenha acontecido? Não. Portanto, o tempo não volta. A hora é agora. Tanto que o presente se chama presente, então desfrutemos do nosso presente todos os dias da melhor forma.
O erro é inevitável, sempre estaremos passíveis de cometê-lo, mas a vida é assim mesmo. É impossível de gabaritar. Ninguém tira só nota 10 na escola.
Se você tirou um 9, é porque você ainda errou.
E é assim mesmo. É com o erro que se aprende.
E na vida sempre precisaremos estudar mais e mais.
E nunca saberemos de tudo, na verdade sempre estaremos longe de saber tudo.
Oportunidades vão e vem. O mundo é assim. As coisas são assim. As pessoas são assim. Tudo está em movimento e todos vivemos numa eterna busca pela felicidade. Felicidade que nós só vamos de fato encontrar, no dia em que nos dermos conta e acreditarmos que ela está dentro de nós mesmos.
E entendermos que a soma de 1 + 1= 2. E não 1 como os apaixonados pensam. É preciso estar completo primeiro, para buscar o outro que nos fará companhia durante a vida. Não devemos jogar a responsabilidade da nossa felicidade no outro, é um encargo pesado demais. Devemos ser fortes o suficiente para nos auto sustentar. Valorize-se. Pratique o amor próprio! Mas também não deixe de praticar o bem sem olhar a quem, o chamado amor gratuito, aquele que não pede nada em troca. Aquele que é o único amor que podemos chamar de amor. Porque o amor nos liberta e o egoísmo é único que nos aprisiona.
Então se for procurar por alguém, não a procure pelo que ela pode lhe oferecer, mas pela simples vontade de tê-la por perto e de fazê-la feliz. Saiba valorizar as pequenas coisas, porque embora o dinheiro compre felicidade, pois não sou hipócrita de dizer que não, sempre serão as conquistas gratuitas que nos farão mais realizados.
Não guarde rancor nem ódio, guarde apenas aquilo que lhe faz bem. Pois quanto mais coisas boas você guardar, mais feliz você vai ser.
Na verdade, nem guarde as coisas boas, as espalhe para que elas possam fazer felizes outras pessoas. E busque se autoconhecer, tire um pouco sua máscara social e deixe-se descobrir o seu verdadeiro eu.
Busque o tom para a sua vida, busque não viver apenas em torno dela. Olhe mais para os lados.
Aprenda a sentir compaixão, no lugar de pena.
Aprenda a respeitar o limite do livre arbítrio do próximo e não julgue ninguém, porque da mesma forma que julgas, um dia serás julgado. Se nem Deus julga, quem é você para se sentir no direito de punir alguém?
Aprenda a valorizar as pessoas que te amam e aquelas que nunca te negaram ajuda. Aprenda a ser mais grato e a não mentir inclusive para si mesmo. Porque ingratidão e mentira são os maiores venenos da face da Terra.
Saiba que a vida não é brincadeira e as pessoas não são pecinhas para se jogar.
Toda pessoa tem suas provações e carrega uma bagagem que só ela sabe o que tem dentro e o quanto pesa.
Ingrid Oliveira
O amor é engraçado, você conhece o primeiro e pensa que é pra sempre mais aí vem a vida e te mostra que não. Aí vem os encontros e novamente o amor está lá, mais aí vem os desencontros e com ele faz o amor ir embora novamente. Mais sabe por mais que seja os desencontros as desilusões existe o tempo e nele você se cura aprende e mais um vez vem o amor e mostra que você não vive sem ele e por mais que demore , a chegar o verdadeiro amor que vem a ser o primeiro pra ser pra sempre. ..m Ingrid Oliveira
A nossa empresa era o nosso amor. Nós gostávamos da nossa empresa. Nós queríamos que ela crescesse e que ela durasse para sempre. Mas eu queria de um jeito e ele queria de outro. Ele achava melhor assim e eu achava melhor assado. Ou seja, embora fosse a mesma empresa, o clima organizacional não era positivo e portanto não havia a garantia de sucesso. Na verdade, era praticamente certo que a empresa não fosse para frente, pois os pensamentos não estavam em harmonia, enquanto um queria ir para um lado, o outro queria ir para outro. Ingrid Oliveira
As vezes eu me pegava tentando entender o que fazia de nós um casal e o que seria um grande motivo para brigarmos ou terminarmos algo que nem existia de fato.
As vezes eu só queria entender o que havia se tornado a nossa relação, eu já não gostava mais daquele posto que me era importo, pois eu queria mais.
Já estava cansada de guardar seus segredos e de saber que você tinha outras na sua cama desfrutando do seu prazer e eu me perguntava: o que me diferencia?
Será que ele olha para elas como olha pra mim? Será que tem um jeito especial de tratamento que só eu recebo? Eu me perguntava dia e noite. Para mim isso era importante para saber se eu era importante. Eu tinha uma necessidade de ser única, de ser especial, de ter características dele que me colocassem em uma posição de destaque diante das outras.
Numa relação tão anti-convencional como a nossa, eu esperava identificar formas peculiares de expressão do amor.
Eu passava um tempão poetizando cada momento que eu havia vivido com ele. E cada momento tinha um cheiro, um sabor e uma música de fundo.
Meu erro foi querer demais, poetizar demais e acreditar que a nossa história era uma história sem fim.
Hoje não aceito que é passado e portanto evito o presente para não te perder lá trás. Ainda as vezes me pego conversando com você na minha imaginação e em nossas conversas, rimos, trocamos frases de amor e discutimos muito, a milésima DR de nossas vidas que já não se cruzam.
Ingrid Oliveira