AMOR PACÍFICO E FECUNDO!
Não quero amor que não saiba dominar-se,
desse, como vinho espumante,
que parte o copo e se entorna,
perdido num instante.
Dá-me esse amor freso e puro como a tua chuva,
que abençoa a terra sequiosa,
e enche as talhas do lar.
Amor que penetre ate o centro da vida,
e dali se estenda como seiva invisível,
até os ramos da árvore da existência,
e fça nascer
as flores e os frutos.
Dá-me esse amor que conserva tranquilo o coração,
na plenitude da paz!
Rabindranath Tagore
Senhor! Dá-me a esperança, leva de mim a tristeza e não a entrega a ninguém.
Senhor! Planta em meu coração a sementeira do amor e arranca de minha alma as rugas do ódio.
Ajuda-me a transformar meus rivais em companheiros, meus companheiros em entes queridos.
Dá-me a razão para vencer minhas ilusões.
Deus! Conceda-me a força para dominar meus desejos.
Fortifica meu olhar para que veja os defeitos de minha alma e venda meus olhos para que eu não cometa os defeitos alheios.
Dá-me o sabor de saber perdoar e afasta de mim os desejos de vingança.
Ajuda-me a fazer feliz o maior número de possível de seres humanos, para ampliar seus dias risonhos e diminuir suas noites tristonhas.
Não me deixe ser um cordeiro perante os fortes e nem um leão diante dos fracos.
Imprime em meu coração a tolerância e o perdão e afasta de minha alma o orgulho e a presunção.
Deus! Encha meu coração com a divina fé... Faz-me uma mulher realmente justa
Rabindranath Tagore
Compreendemos mal o mundo e depois dizemos que ele nos decepciona.
O poder infinito de Deus não está na tempestade, mas na brisa.
Se de noite chorares pelo sol, não verás as estrelas.
Rabindranath Tagore
Se fechar a porta a todos os erros, a verdade ficará lá fora.
O amor é um mistério sem fim, já que não há nada que o explique.
Não podes ver o que és. O que vês é a tua sombra.
Há triunfos que só se obtêm pelo preço da alma, mas a alma é mais preciosa que qualquer triunfo.
O homem mergulha na multidão para afogar o grito do seu próprio silêncio.
Que eu nunca mendigue paz para a minha dor, mas coração forte para dominá-la.
A borboleta conta momentos e não meses, e tem tempo de sobra.
Que eu reze não para ser preservado dos perigos, mas para olhá-los de frente.
Não temo ao fogo que me adverte com suas chamas,mas livrai-me da brasa moribunda que se esconde sobre as cinzas.
Rabindranath Tagore
Dias a fio, ó senhor da minha vida, estarei diante de ti face a face? De mãos postas, ó senhor de todos os mundos, estarei diante de ti face a face?
Sob o teu imenso firmamento, na solidão e no silêncio e de coração humilde, estarei diante de ti face a face?
Neste mundo laborioso que é teu, turbulento de lidas e lutas, entre atropeladas multidões, estarei diante de ti face a face?
E quando a minha missão findar neste mundo, ó Rei dos reis, sozinho e mudo, estarei diante de ti face a face?
Rabindranath Tagore
"Ouço os teus passos, Senhor, na praia da minha vida;
No solitário silêncio, no ar do Verão, os planetas e as estrelas do céu fitam com fixo olhar.
A corrente do pensamento flui gentilmente, gentilmente no meu coração.
Os meus olhos estão vigilantes como pássaros sedentos.
Abri os ouvidos nas profundezas do meu coração.
Em que abençoada manhã desfalecerás no tabernáculo da minha alma?
Esquecerei toda a alegria e toda a dor, mergulhado nas águas da felicidade."
Rabindranath Tagore
Cântico da Esperança
Não peça eu nunca
para me ver livre de perigos,
mas coragem para afrontá-los.
Não queira eu
que se apaguem as minhas dores,
mas que saiba dominá-las
no meu coração.
Não procure eu amigos
no campo da batalha da vida,
mas ter forças dentro de mim.
Não deseje eu ansiosamente
ser salvo,
mas ter esperança
para conquistar pacientemente
a minha liberdade.
Não seja eu tão cobarde, Senhor,
que deseje a tua misericórdia
no meu triunfo,
mas apertar a tua mão
no meu fracasso!
Rabindranath Tagore, in "O Coração da Primavera"
Tradução de Manuel Simões
Rabindranath Tagore
O Céu e o Ninho
És ao mesmo tempo o céu e o ninho.
Meu belo amigo, aqui no ninho,
o teu amor prende a alma
com mil cores,
cores e músicas.
Chega a manhã,
trazendo na mão a cesta de oiro,
com a grinalda da formosura,
para coroar a terra em silêncio!
Chega a noite pelas veredas não andadas
dos prados solitários,
já abandonados pelos rebanhos!
Traz, na sua bilha de oiro,
a fresca bebida da paz,
recolhida
no mar ocidental do descanso.
Mas onde o céu infinito se abre,
para que a alma possa voar,
reina a branca claridade imaculada.
Ali não há dia nem noite,
nem forma, nem cor,
nem sequer nunca, nunca,
uma palavra!
Rabindranath Tagore