Em Um Único Suspiro
Se da tua beleza fosse feita a primavera,
seria a primavera então a coisa mais bela.
Quanta alegria enchia-se os olhos meus,
com um simples retrato teu.
Vivia meu coração então pela distancia
a bater de esperança.
Colhi em um único suspiro toda tua
graça e esplendor feminino.
Através dos teus olhos e tuas virtudes.
Tão suave quanto doce, repousava-se no
coração da minha alma tuas lembranças.
Que em cada lembrança suspirava-me
de amor.
E que quando o amor é verdadeiro,
brotava-se no peito a flor da eternidade.
Por mais que o tempo passe jamais
deixarei de ter, a ti, o amor, pôs em
minha alma tua imagem já está cravada.
Tão doce era o encanto que nela se fazia-se
tão nobre quanto humilde.
E no amor eu me deleito na lembrança
do brilho do teu olhar.
Tal suave brilho que lembra cada
estrelas do céu. Tiago Amaral